A hora do laminado!

Com ajudas tecnológicas, estes tipos de pisos passaram a reproduzir com perfeição texturas, nuances e até os veios da madeira natural. Por isso, preparamos este post para você poder tirar suas dúvidas sobre este revestimento.

Quais as vantagens?

Entre arquitetos e designers de interiores, a resposta é unânime: não há revestimento com tamanha facilidade de instalação e manutenção, e ainda oferecem  uma gama de padrões. Por ser um piso flutuante, as réguas são colocadas apenas com cola ou encaixe de clique. Sem sujeira, instala-se tudo num dia e, no outro, pode-se circular pelo espaço. Além do mais, trata-se de uma alternativa sustentável, pois são produzidos de florestas certificadas pelo Conselho de Manejo Florestal.

Posso usá-lo em áreas molhadas?

Uma das desvantagens do laminado está no fato de ser contraindicado para banheiros, cozinhas e lavanderias. Como este revestimento possui miolo de madeira, que acaba sofrendo mudanças e estufando com água, da mesma forma que ocorre com assoalhos e tacos naturais.

Ele custa muito caro?

Com baixo custo, podendo chegar até 1/3 menos do que o de um assoalho de madeira, a procura pelo laminado é grande.  No quesito durabilidade, os fabricantes oferecem garantias entre 5 e 16 anos, dependendo do modelo e da marca. Ao escolher, precisa-se observar a classe de abrasão, que vai de AC2 a AC5. Casas são consideradas áreas de baixo tráfego. “AC2 ou AC3 bastam”, orientam os arquitetos.

Que avanços o produto teve nos últimos tempos?

Hoje, a tecnologia já permite criar  ranhuras e relevos nas superfícies, mas também existem outros upgrades disponíveis em algumas marcas, como por exemplo, proteção contra microrriscos e bactérias e a propriedade antiestática, que evita o acúmulo de poeira.

Como deve ser o contrapiso? Posso instalar o laminado sobre outros revestimentos?

Para não correr o risco de o piso se soltar, empenar ou manchar, vale ter cuidado extra na preparação do contrapiso. Ele deve estar seco (a cura do cimento leva cerca de 30 dias), limpo, nivelado e isento de umidade. Sim, o laminado pode recobrir materiais existentes e, por ser pouco espesso, é um dos raros revestimentos que permitem essa façanha sem mexer na altura de portas.

Trata-se de uma opção imbatível numa reforma rápida ou em caso de imóvel alugado. As réguas colocadas com cliques têm a vantagem de serem retiradas e transferidas facilmente para outro endereço. Mas atenção: a cada 1,5 m de extensão, o desnível do contrapiso só deve variar até 3 mm, podendo ser corrigido com a manta acústica. Caso contrário, será preciso passar uma nata de cimento.

Eu mesmo posso assumir a colocação?

Prefira contratar instaladores experientes. Um erro comum está na junta de dilatação, obrigatória em todo o perímetro da parede. Como o revestimento tende a dilatar ou contrair, vale deixar entre 0,8 e 15 mm entre o piso e a alvenaria, conforme indica o fabricante. Esse espaço fica escondido sob o rodapé.

Como impedir o “toc toc” dos sapatos?

Evite esse problema com o uso de mantas acústicas, geralmente feitas de EVA ou polietileno, entre o laminado e o contrapiso. Elas absorvem os ruídos.

É fácil manter o laminado? Devo encerá-lo?

Pano umedecido em água (muito bem torcido) e detergente neutro, vassoura de cerdas macias ou aspirador de pó bastam para a limpeza. Evite materiais cortantes e ásperos, como lixas, palhas de aço e esponjas dupla-face. Esses itens não só danificarão o piso como também implicarão na perda da garantia. Encerar é contraindicado, pois o produto não será absorvido e ainda dificultará a faxina. Assegure a longevidade adotando feltro nos pés dos móveis e rodízios de poliuretano, já que os de náilon são abrasivos.

O que fazer para acabar com as sujeiras difíceis?

Se houver mancha de cola, os fabricantes costumam sugerir removedor de esmalte ou uma solução de 50% de água morna e 50% de álcool. Para retirar tinta, verniz ou graxa, costuma-se recomendar aguarrás, tíner ou querosene, materiais oleosos que, na sequência, requerem a aplicação de um pano com água e sabão neutro a fim de dissolver a gordura.

Comparando laminado vs. madeira:

O primeiro é mais fácil de colocar e limpar, enquanto as tábuas maciças e os tacos exigem muitos cuidados na instalação e manutenção, como por exemplo, rejunte, cera e resina. Mas são clássicos e apresentam uma beleza autêntica.

O aconchego incomparável do material natural configura mais uma qualidade destacada pelos profissionais.

Outras imitações

Se você deseja trazer a sensação de acolhimento para dentro de casa, há diversas opções de revestimento, além do laminado, que reproduzem com maestria a aparência da madeira natural. Um deles é o porcelanato, que, nos últimos anos, passou a contar com a tecnologia da impressão digital em alta definição. Agora, as placas não só imitam as medidas de tábuas corridas como também exibem texturas e nuances de diversas espécies. Há, ainda, os pisos vinílicos, geralmente fabricados de PVC, que, além da semelhança com a madeira, reúnem atrativos dos laminados, como a facilidade de instalar e limpar.

Separamos algumas imagens para você. Confira na galeria abaixo:

 

Fonte: Casa Abril

Tags: , , , , , , , , ,

Comments are closed.