Qual piso vou usar?

Pensar no piso como um simples coadjuvante para o seu lar é menosprezar o poder de protagonista que ele possui. Com ele, o lar ganha alma e personalidade, criando harmonia ao mobiliário e também revelando o estilo do morador.

Assim como nos móveis, nas cores das paredes e, mesmo que muita gente não perceba, o piso também se torna uma expressão fiel de seu morador, onde um mundo de texturas, cores, desenhos e tecnologias possibilitam hoje, transformar por completo qualquer ambiente de uma casa. Por isto, a escolha deve ser bem pensada, pois o piso é um investimento a longo prazo.

As opções variam de madeiras naturais, passando por pisos vinílicos e cerâmicas que imitam a mesma textura, chegando até aos mais diferenciados mosaicos de vidro.

Confira agora as novidades do mercado:

* Madeira: Ela, que nunca sai de moda, não dá mais aquele antigo trabalho de encerar. Com camadas e camadas de verniz, ganhou mais resistência, vida útil e manutenção bem mais prática. No dia a dia basta um pano úmido.

- Tipos: Para quem faz questão da madeira nobre, há os assoalhos, composto por réguas, tacos e parquets (padrões formados por tacos) além dos estruturados que, por terem apenas a camada superior de madeira nobre, diminui desperdícios. A opção mais em conta é o laminado, que são as réguas formadas de material composto que imitam o padrão da madeira.

- Vantagens: Conforto térmico e acústico, versatilidade e a manutenção, hoje mais fácil. Além de instalação simples no caso dos laminados.

- Desvantagens: Pouca resistência à umidade e, em decorrência disso, limitações ao uso. Apesar da manutenção e resistência de hoje, o desbotamento.

* Pedras: Houve um tempo em que os pisos de ardósia eram soberanos e, por isso, ficaram datados. Assim como os de pedra São Tomé, usados principalmente na área de lazer. Hoje, a gama de pedras é grande com uso e aspectos dos mais variados e com indicação para muitos ambientes.

- Tipos: Pela variedade se resumem hoje ao mármore e ao granito no caso de ambientes internos. Para isso, ganham tratamento de acordo com a necessidade como impermeabilizações e polimentos.

- Vantagens: Resistência, durabilidade e a aparência que em muitos casos é de impressionar pelo desenho e cor.

- Desvantagens: Custo muito alto, sensação térmica desconfortável.

* Cimento: Dos guetos do Soho, em Nova York, os galpões se tornam casas e muitos de seus proprietários mantiveram o piso acimentado. Material que reúne um perfil bem específico, o cimento tem se tornado vedete na decoração. E a tecnologia tem ajudado a diminuir os problemas no uso.

- Tipos: Além do cimento queimado, há o tecnocimento que dispensa as juntas de dilatação e tem aparência mais sofisticada. Além deles, há placas cimentícias que vêm em formatos de 1mx1m.

- Vantagens: Custo menor, versatilidade e fácil limpeza.

- Desvantagens: Poe apresentar trincas, por isso exige um contrapiso bem feito. Além e manchas ao longo do tempo por ser poroso. Ela diminui com uso de impermeabilizantes.

* Cerâmicas: Com rejuntes largos, os pisos de cerâmica se popularizaram pelo custo e grande oferta de padrões. Até que perdeu terreno para o porcelanato, que chegou ao Brasil em 1990 e passou a roubar a cena pela resistência, corte e uniformidade mais precisa. Tornaram-se então os queridinhos da construção civil, especialmente por seu brilho luxuoso.

- Tipos: Os e cerâmica podem ser lisos ou com textura, os porcelanatos têm hoje cores e texturas que imitam aparências com fidelidade.

- Vantagens: As cerâmicas são versáteis, podendo ser utilizado em vários cômodos da casa e não mancham. Assim como os porcelanatos que absorvem pouca água, são resistentes e fáceis de instalar.

- Desvantagens: Em relação à cerâmica, o procelanato é mais caro e por ter peças maiores o risco de quebra e desperdícios. Em padrões muito polidos e brilhantes, é passível de riscos. A cerâmica, por sua vez, é pouco resistente e bem menos fiel nas texturas. O rejunte, característico, pode exigir manutenção maior e pode encardir.

* Vinílico: Geralmente usado em ambientes comerciais como escritórios, lojas e cademias, o piso vinílico também pode ser usado em residências. Não é para quem quer naturalidade de um piso de madeira mas para quem está mais preocupado com a praticidade, embora os padrões sejam muitas vezes convincentes.

- Tipos: Pode vir em formato de placas, réguas ou mantas.

- Vantagens: Facilidade de instalação, vai sobre outros pisos, durabilidade.

- Desvantagens Aparência menos original, dependendo da espessura pode transparecer alterações do piso embaixo, limitação a espaços fechados e cobertos.

* Outros: Para um efeito único e cheio de história, há opções de materiais que podem ajudar a personalizar o piso. A beleza do ladrilho hidráulico, por exemplo, clima um clima rústico de casa do campo mas também moderno dos tabuleiros de xadrez na cozinha. O vidrotil é outro exemplo . Em mosaico pode ganhar desenhos mas também ar elegante se monocromático. Já o bambu aparece como uma alternativa para os assoalhos.

- Vantagens: Nos ladrilhos, versatilidade dos desenhos e do uso, resistência e adaptação a vários estilos. No vidro, resistência e o fato de ser antiderrapante. E o bambu por seu apelo ecológico e antibactericida.

- Desvantagens: Os ladrilhos são feitos a mão e por isso, são mais caros e podem ter variações. O vidrotil exige boa aplicação para não ter irregularidades e o bambu o custo ainda mais alto.

Veja nossa galeria com fotos de diversos ambientes com os mais variados tipos de pisos

 

Fonte: Jornal A Gazeta

Tags: , , , , , , , , , ,

Comments are closed.